segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

A experiência...

Eu neguei por vários anos o Natal. Com a rebeldia de um adolescente o rejeitei convenientemente alegando a hipocrisia das pessoas, o desperdício de comida, o amigo secreto compulsório, a televisão ligada em programas sem graça, etc. Eu, todo trabalhado no mimimi, dei foco no que queria enxergar e, oras, enxerguei e vivi exatamente o que escolhi para mim. Reclamei como se a experiência do Natal fosse independente do meu próprio olhar e do que, de alguma maneira, escolhia acreditar. O que eu percebi - e que compartilho com vocês - é que não sou refém de nenhuma experiência porque sou eu que a escolho e dou atenção para o que quero dar. Se insisto com a atenção em algo que me desagrada, este algo que me desagrada persiste. Hoje, percebo que posso criar o meu Natal, a minha experiência de Natal, sem reforçar, persistir ou insistir no que não quero. Dou atenção ao que me é valioso, ao que me nutre, e descubro ainda que posso criar um cenário onde não preciso engolir a seco a hipocrisia alheia e nem discuti-la, ou que me permito dizer "não" para aquilo que não quero participar. E, de alguma maneira, isto se dá com a nossa vida inteira. Qual é a experiência que tenho escolhido criar para mim? O que me faz por atenção e insistir no que me desagrada? Como posso ter mais do que me deixa feliz e por isto mesmo, compartilhar com quem gosto?

Aos que compreenderam a mensagem e aos que não, desejo de coração uma generosa e divertida experiência de Natal. Seja lá como você decida vivê-la.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Ela...

A minha esposa quando sorri revela seus 452 dentes. Não é deboche, nem ironia. Seu sorriso é tão lindo que quando sorri se mostram, numa ilusão de ótica, os 833 dentes da sua boca harmônica e simétrica. Além do charme, é claro, há muito o que dizer. Anna desmente aquela teoria de que quem faz muito não faz nada direito. Acupunturista, fotógrafa, editora, pintora, massoterapeuta, chef, thetahealer, bailaora flamenca. Anna, com excelência, canta, dança, representa e desensina certezas empoeiradas abrindo espaço para a minha própria luz. Anna me convida às cores, à cura, à celebração. Já me deu a vida, a voz, a vez, o peito e os amanhãs. Anna é janela, café, colo, asa e céu. Anna se veste de sol para me amanhecer, diariamente. E sendo o dia dela, hoje, o dia é meu. De celebrar os seus plurais, o nosso amor e a minha felicidade por tê-la ao lado. Por ser a nossa casa o altar de cada um dos nossos sonhos. Por ser o seu nome a minha inteira prece. E eu, aqui, escrevo para lembrá-la de quem ela é quando às vezes se esquece. Aqui, acendo a poesia e as palavras para iluminá-la para que o lume revele aos seus olhos a mulher que é. Isto tudo já declarado nas entrelinhas. Isto tudo a ser confessado no meu sorriso quando a vejo. Um sorriso imenso, mas com bem menos dentes na boca.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Terapeuta...





Eu não estreio agora. O que pode lhes ser surpresa, na verdade é um anúncio. O que pode lhes parecer uma novidade, para mim é caso antigo. Desde 2005 que investigo as dimensões de cada um de nós e com elas trabalho. Não à toa e de alguma maneira a literatura tornou-se a expressão e o registro do que absorvi e me apropriei nesta trajetória. O Reiki, a Apometria, as Barras de Access, o Thetahealing são técnicas que vivencio ao longo destes mais de treze anos. Umas a mais tempo que outras. Outras de modo mais intenso que umas. O fato é que me sinto à vontade não só pelo tempo em si, mas pelo que estudei e o quanto estudei, onde trabalhei e com quem trabalhei, o que vivi e como vivi, para divulgar o que com estas práticas posso vir a facilitar no processo e na jornada de cada um.

O que nunca lhes contei diretamente nestes anos todos venho a vocês com muita felicidade publicizar. E o que disto se trata, então? 

De um convite. 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Deus também bebe café

"Este livro encerra um velho-eu e dispõe-me para um novo. Do compromisso com as letras, satisfeito me dispenso. Os caminhos pedem-me diverso do que até ontem entre linhas me confessei. "Deus também bebe café" é uma cifra, um segredo, uma combinação e um convite para as verdades maturadas que bebi e aprendi a beber nesta última década e que oferto a todos os de olhos bem atentos. 

Provai e vede. Seja de Deus, do café ou deste próximo, último e inédito livro."

terça-feira, 13 de março de 2018

Deus também bebe café

"Deus também bebe café"

O livro é fruto de um Adão improvisado a versar sobre tudo o que veio após o Éden. Do Império Romano à mesa de bar. Das teorias da conspiração às xícaras de café. Deus é capítulo para seus crentes e descrentes. Assim como o amor. Um livro para atravessar o tempo e o peito como espaço sagrado para as verdades que nos confessa a literatura.

Sem qualquer arrependimento.
.
.
.
Meu quarto e último livro a ser publicado pela Editora Penalux.
R$ 45,00 reais já com o frete para qualquer lugar do país.
A quem interessar, mande mensagem.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Deus também bebe café

"Deus também bebe café"
O meu quarto, próximo e último livro.
Lançamento em abril, pela Editora Penalux.

Pré venda aberta. R$45,00 com frete incluído e dedicatória.
A quem interessar: guglicardoso@gmail.com

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018