quinta-feira, 23 de novembro de 2017

No tempo...

A ansiedade é uma fuga cheia de medos. Uma invencionice para alcançar lugar nenhum. Uma incompetência para ajustar-se no corpo, na palavra, no tempo. A onipotência da fragilidade. A ansiedade é um medo cheio de fugas. Uma invencionice para se estar em lugar nenhum. Uma incompetência para transbordar-se do corpo, na palavra, no próprio tempo. A onipresença da vulnerabilidade. Uma estupidez em que recusamos diariamente os méritos.

Nenhum comentário: