terça-feira, 17 de outubro de 2017

Brasília...

Acreditamos que Brasília seja um outro país, um outro planeta, quiçá, uma ficção de banca de jornal. Que por lá habitam homens e mulheres distintos dos homens e mulheres de cá, distantes de nós pelo calor, pela corrupção, pela canalhice, além, é claro, pela conta corrente.

Acreditamos porque queremos acreditar. Porque precisamos acreditar. Para podermos apontar os dedos todos da nossa mão como se não fôssemos responsáveis. Como se fôssemos alguma vez sensatos. Como se pudéssemos dizer que são nossos vizinhos, e nunca nós, que os colocaram ali.

Vejam, senhores, condenamos Satanás para no ano seguinte elegermos Belzebu, tendo novamente Satanás como conchavo, vice ou adversário.

A danação é cíclica.

A política é o espelho do povo. E não há por lá outros senão o próprio povo: empresários, advogados, torneiros mecânicos, engenheiros, economistas, jornalistas, professores e toda a sorte de brasileiros que por uma, duas, três vezes vereadores, prefeitos, síndicos de prédio foram levados - por nós - a estarem onde estão.

Que na próxima a ressaca e o pesadelo não venham juntos. 
Já nos basta a caganeira.

Nenhum comentário: