segunda-feira, 15 de maio de 2017

A fotografia...

A fotografia. O único porta retrato da casa. Um registro apenas de si mesmo. Sorrindo numa festa dezoito anos antes. De quando era mais magro e seus pai ainda eram vivos, de quando viajava com os amigos e voltava tarde pra casa, de quando comia mal mas vivia bem, de quando dormia mal e acordava bem, de quando ainda não havia sido demitido, de quando ainda acreditava no amor, de quando se sentia mais leve, mais livre, mais outro, menos outro, mais ele mesmo.

Sentiu inveja de si, raiva de si e culpa de si por não ter sabido nunca se usar melhor. Ele foi feliz e não sabia, nunca soube. Soube apenas agora.

Jogou o porta retrato fora.

Um comentário:

Mila Lopes disse...

O bom é que soube, já diz o ditado "melhor tarde que nunca", rs...
Bela reflexão.
Estou voltando para a blogsfera e deixando meu link nos blogs que sigo.
Visite meu espaço, está repaginado, estou Palavrando devagarinho mas com carinho...

Beijos e aguardo sua visita!

https://palavrandoels.blogspot.com.br/