segunda-feira, 10 de abril de 2017

Peleja...

É na palavra que me torno dócil, que mastigo educado a vida, que cicatrizo minha mãe e abençoo meu pai. É na palavra que salgo a carne, que tombo em combate, que vendo o tempo que me restou no peito. É na palavra que amarro a lembrança, faço peleja com a tristeza, e consagro-me dia sim, dia não, um sobrevivente.

Nenhum comentário: