terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Controle de qualidade...

Queremos que o outro nos ame como não nos amamos. Aguardamos que o amor venha a salvar-nos da decadência de não sabermos amar cada vez que amamos, confiando que o amor do outro venha cuidar daquilo que não cuidamos em nós. O amor próprio é o início, jamais a chegada. Como esperar que o outro nos ame se não nos amamos?

O outro só nos completa quando complementa.

Um comentário:

Bárbara Paloma disse...

Olá! Foi bonito o que escreveste, tua ideia me lembrou um texto meu. Sabe aquela história comum de "encontrar minha metade"? Não gosto dela, rsrs, penso que somos, e devemos ser, seres completos, inteiros, em busca de outro ser também completo, e não com pedaços, ou metades perdidas por aí. Uma metade não preenche um todo. E como escrevi uma vez, precisamos de alguém que nos transborde, menos que isso é muito pouco!
Feliz em encontrar teu blog!
Um abraço