domingo, 1 de janeiro de 2017

Caminhar...

Que o velho morra para dar lugar ao novo, pois, toda morte é um renascimento.
Que eu possa ir fundo para poder tocar o céu; que eu possa alcançar o horizonte.
Que eu possa ter tempo para tudo aquilo que deixei de realizar, e que poderia fazer a qualquer momento.
Que as horas passem devagar quando necessário; os dias menos depressa.
E que eu possa conquistar o atemporal: não pelo que eu faço, mas por quem eu sou.
Além do sucesso, minha integridade. Além dos objetivos, minha inteireza.
Que eu possa perceber que sou eu quem carrego a chave das próprias prisões que crio.
E que eu me liberte do medo, das angústias, da aflição. 
E neste vôo, possa lançar as sementes do amor. Amor que todos devemos cultivar.
Além da bela silhueta, além dos preciosos amigos, além de qualquer explicação ou teoria lógica e lapidada; além de belos títulos de livros ou filmes, de boas marcas e comentados lugares.
Eu possa me encontrar, em tudo aquilo e mais um pouco. Ou menos.
E que eu possa refletir como um espelho todos a minha volta.
Que o porvir possa acalmar a ansiedade do dever-ser e do vir-a-ser, porque eu ainda não sou, nada além, do que já sou. 
E em mim, tudo basta. Mesmo quando me sinto vazio. E que diante do vazio eu não me preencha com mais dele. 
Que eu aprenda a perdoar, primeiro a mim, por não saber perdoar.
Que eu lembre do melhor e esqueça o necessário; o desnecessário para crescer, pois, crescer é inevitável.
E que o inevitável venha e, assim, eu aprenda a aceitar.
Que eu possa criar, que eu volte a ser quem nunca fui e que um dia eu deixei de ser.
Sorrisos e lágrimas. Criador e criatura. Céu e terra.
Que os monstros se tornem disciplina e compaixão.
Tenho equilíbrio e procuro por mais. Equilibrei-me por desequilibrar-me.
Além das palavras, o agradecimento contido em cada uma delas.
Pois é a experiência que me brinda com a realidade que me envolve.
Escada de degraus infinitos.
Um recomeço de um caminhar eterno.
Abençoado, próspero, tranquilo.
Para mim e para você.
 
2017.

Um comentário:

BethS disse...

Boa Tarde Poeta Guilherme Antunes !! Ótima leitura ,do princípio ao fim. É incrível teus Textos!!
Eu sou uma Ilha , pois nasci só , e ,quando for para outro mundo ,ninguém vai querer me acompanhar...mesmo que me amem. Se analisarmos friamente , todo ser humano ou não , é uma ilha!!
Adoro teu pensamentos , partilha com todos esse dom maravilhoso ,que é escrever. Parabenizo !Um Abraço desta leitora __Elizabeth Siescky