terça-feira, 18 de outubro de 2016

Cravada...

A palavra se atravessada na garganta, cravada no peito, amarga na boca, embrulhada no estômago, ressecada nos olhos, empoeirada no tempo, magoada no ontem, dolorida na alma, deverá ser tratada com as urgências necessárias e coragens essenciais para a sua despedida.

Do contrário vira doença,
cárcere de encantos
e milagres.

Nenhum comentário: