quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Passageira...

[...] porque nós tão descrentes do amor que ao enxergarmos um, ainda que ao longe, mesmo que não o nosso, dá-nos o sutil saber de que a descrença é apenas passageira.

Ao celebrarmos o amor do outro nos enfeitamos para o nosso.

Nenhum comentário: