quinta-feira, 7 de julho de 2016

Outras vezes, não.

[...] e ao longo do tempo vi que entre o leitor e eu há a palavra. E entre o leitor e a palavra há um universo seu que bebe do meu universo a partir dos seus próprios humores, amores e vazios. Por isso muitas o leitor enxerga somente aquilo que pode ver: o seu próprio reflexo.

Às vezes é possível alcançar-me. 
Outras vezes, não.

Nenhum comentário: