segunda-feira, 6 de junho de 2016

Para respirá-lo...

Se tão estranho é que depois de tanta mágoa podemos ainda pensar no amor, se tão estranho é que depois de tanta tristeza podemos ainda lembrar do amor, se tão estranho é que apesar de tanto sofrer podemos ainda querer o amor, se tão estranho é que apesar de tanto morrer podemos ainda renascer no amor, se tão estranho é que apesar de tanto medo podemos ainda desejar o amar, se tão estranho é que depois de tanto fugir podemos ainda encontrar o amor, se tão estranho é que depois de nos destruírmos podemos ainda perdoar por amor, que mesmo depois de muito podemos ainda sentir o amor, que mesmo depois de muito pouco podemos ainda reinventar o amor, se tão estranho é que depois de tanto, de tudo, apesar dos pesares, dos pedaços, dos cacos, das reticências, das desistências e dos cansaços, podemos ainda sonhá-lo e respirá-lo mesmo quando não há o que respirar, é porque de amor somos todos feitos.

Um comentário:

mム尺goん disse...



sobre esperanças de remendo....
[o amor , sempre o amor]