terça-feira, 31 de maio de 2016

Inclusive...

A certeza pode ser uma armadilha revelando-se no próprio reflexo: seja por uma verdade nela contida ou por uma ilusão que ela carrega como se verdade fosse. Às vezes enxergamos mentira como verdade numa certeza que escolhemos nos convencer. O risco é adoecermos pelo excesso daquelas que no tempo nos tornam inflexíveis e fechados dentro de nós mesmos, recusando-nos em trocá-las por outras onde possamos melhor caber junto às experiências que trazemos. Assim adoecemos. Assim nos sufocamos, por decretarmos que o que vemos deve continuar a ser ainda que não mais seja, desmentidos pela impermanência da vida que ignoramos. As certezas diminuem o mundo para que caibam todas, aliviando-nos a ansiedade e o medo que cultivamos pela necessidade de qualquer coerência e algum controle que acreditamos possuir. A vida nos arde não por conta própria, mas por insistirmos em ralar os joelhos e o coração nas mesmas velhas escolhas que não nos servem mais.

Quem decidimos ser depende inclusive das certezas que abandonamos.

Nenhum comentário: