sábado, 2 de abril de 2016

O equívoco...

O amor não nos causa doença ou mal algum. O que nos causam males são os nossos escuros; estes com que envolvemos cada uma das coisas que sentimos. O equívoco está em acreditarmos que nossas ausências e medos e egoísmos não interferem no amor. O equívoco está em nos permitirmos esquecer que nos relacionamos também através da nossa imaturidade e ignorância. E por recusarmos enxergar tanto os equívocos quanto os escuros, colocamos a culpa no amor como inevitável tragédia a mastigar-nos o peito, antes ou depois de elevar-nos aos céus. É exatamente o amor quando amado junto aos enganos que o comprometem. O amor não deixa de florescer por sua própria culpa, mas por nossa responsabilidade. Ele, pelo contrário, por sua claridade, permitirá que diante do outro venhamos a reconhecer os escuros com que nos vestimos e nos abotoamos para o desnudo e entregue verbo amar.

2 comentários:

Antonia Albuquerque disse...

simplesmente maravilhoso,aplausos .

ivani ramos disse...

Há anos que venho seguindo o seu blog e sinto-me cada vez mais seduzida por suas belas palavras.
Obrigada pela poesia de todos os dias. Amo seus escritos. Uma bela semana.