sábado, 20 de fevereiro de 2016

Phalaenopsis Lilas...

Deu-me um beijo no rosto e uma flor morta
Amputado o estilete, a cor e o cheiro
Disse assim (o olhar baço): “a vi primeiro”
Deu-me o beijo e a flor, mas o que importa

Deu ao Tempo que o fez seu prisioneiro
Deu, também, a outra mão que o reconforta
Desta flor que meu dedo, agora,  entorta
Sobe a náusea das frestas de um bueiro

Uma orquídea vestida em borboleta!
“Obrigada, meu bem, quanta bondade
posso ler nesta pétala violeta…”

Uma orquídea, a gran mestra em falsidade!
Qual você, que já agarra a maçaneta…
… Sempre li nas suas costas a verdade.

(Clarrissa Yemisi)

Nenhum comentário: