terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Desconheço-me...

Eu não sei ao certo quando é que ponho a matar-me um pouco de mim ou avivar-me naquilo que escrevo. Confundo as confissões com os sonhos, estes com as verdades e aquelas com as mentiras. Dissolvo-me no sutil território das minhas afirmações. Permito-me nas negações de que me aproveito. 

Para antes de um ponto final, busco saber quem sou. 
Para depois dele, desconheço-me.

Nenhum comentário: