quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Alquimia...

[...] A alquimia era esta: a raiva que viesse a sentir não deveria por ele ser condenada, pois, condená-la seria reprimi-la, tornando-se denso veneno a circular junto ao seu sangue. Condená-la seria o mesmo que condenar-se. A raiva que assim vier a sentir do outro poderá tornar-se mágoa e muro, impedindo-o de amar. A raiva que assim vier a sentir de si poderá tornar-se culpa e boicote, impedindo-se de amar.

Ambas as direções a comprometer-lhe a felicidade e os destinos.

Nenhum comentário: