sexta-feira, 31 de julho de 2015

Ao balconista...

Bom dia, senhor.

Quero lhe devolver os conselhos todos que comprei e não me adiantaram. Quero trocá-los por receita pronta, ou fórmula. Mando manipular. Mando buscar. Mando trazer. Dinheiro não me falta, isso não é problema. Apenas me dê um alívio para os meus desesperos. Preciso de algo para a dissolução imediata das minhas angústias. Qualquer coisa para a absolvição das culpas. Tem?! Vitamina para combater contradições e nós na garganta? Pomada para evitar sofrimentos antecipados? E para o durante e o depois, nada na prateleira? Comprimidos para não se engasgar com as mágoas, para digerir as perdas. Algum repelente contra os medos, será que aqui encontro? Um chá para diminuir exigências e ressentimentos. Um fortificante para os meus sonhos, um inibidor de ansiedades? Não precisa ser genérico. E para coração partido, acha que é caso sério? Devo procurar um especialista?

Não, não quero nada para desaparecer senhor. Não acho que seria bom, sabe?
Sinto-me ausente de mim faz tempo demais...

Tudo bem. Eu aguardo o senhor ir ao estoque. Enquanto isso, distraio-me.

Como sempre faço.

2 comentários:

Anônimo disse...

Fantástico! Identificação profunda...

Poeta da Colina disse...

Não existe sentimentos com doses recomendáveis.