domingo, 19 de julho de 2015

Algumas regras...

Acreditou que escolher o certo era o certo a se fazer.
Acreditou que de ilusões sofriam somente os outros,
não soube até ontem que isto era a ilusão de que sofria.
Acreditou que coração depois do estilhaço não se consertava,
depois viu que estilhaço no coração se remendava.
Acreditou que coragem era matar o medo,
depois viu que era coisa apesar dele.
Acreditou que ser interessante era ser gostoso,
depois soube que gostoso era ser interessante.
Acreditou ser o último da festa.
Acreditou ser o primeiro a chegar.
Acreditou não ser convidado.
Acreditou não ser bem vindo,
mas depois se apercebeu que não se convidou.
Acreditou que não deveria morrer nem de raiva nem de amor,
e descobriu que não havia vivido por não nunca morrer.

Acreditou que para ser livre deveria seguir algumas regras,
haveria de descobri-las
quais.

Um comentário:

Poeta da Colina disse...

Acreditar é um início, seja no mais improvável que for.