terça-feira, 14 de abril de 2015

Versado nos abismos...

Ela pensa que sofro da mesma altura dela, que vejo o mesmo que ela vê, que o sol e a luz me alcançam do mesmo jeito que a ela enfeita, e que os monstros são equivalentes aos que ela sente. Não sinto, não vejo, não me alcançam e não sofro. Minhas quedas são maiores porque minha altura é maior. Vejo outras distâncias e minhas confusões não são equivalentes, ainda que muito se pareçam. Percorri inteiros labirintos enquanto ela ainda se familiariza com a desorientação. Mas isso não é vantagem meu caro, foi apenas o risco e o tempo de amadurecer. Hoje sou versado nos abismos.

Nenhum comentário: