quinta-feira, 9 de abril de 2015

Inexatidão...

Não há prontos roteiros, apenas personagens e diálogos improvisados dos nossos (des)encontros. Um amor que inesperado nasce ou que tão logo deixou de ser. Não há necessários caminhos, apenas os que servem e os que não. Não há porta correta, apenas as que abrem e as que não. A melhor escolha às vezes pode ser não escolher. A melhor resposta pode ser nada dizer. A cura que serve às vezes é sentir doer. Às vezes para viver é preciso ter que aqui morrer. Não há acertadas previsões, além dos sonhos, das esperanças e dos desejos. Destino é a possibilidade que você tem em decidir olhar para um só caminho e escolher segui-lo. A inexatidão-de-nós é a mais comum das angústias, e a nossa mais bonita liberdade.

Nenhum comentário: