quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Aos estúpidos...

[...] O amor, meu filho, por vezes carrega horas erradas. Sobra-nos então para os azares, razão de nossos descaminhos. Porque o amor num dia amadurece e não nos damos conta; amadurecemos num outro sem ele conosco acompanhar. O risco é este: que ele mude a ser outra coisa, e nós, a sermos outros, doendo pelos frutos que deixamos de colher. Sobra-nos sempre para os azares, onde em ambos os casos nos sentiremos estúpidos. Amor e tristeza também acontecem aos estúpidos.

2 comentários:

Wendel Valadares disse...

"Aos estúpidos" e desavisados, prestem atenção aos detalhes, "porque o amor num dia amadurece e não nos damos conta."

Bem isso, meu nobre poeta.

Um abraço.

Poeta da Colina disse...

É preciso que assim seja, para todos.