segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Guardo-me...

Guardo-me para os amanhãs que muitas vezes não vivo. Desperdiço-me nos amanhãs que sem eu esperar me consomem. Sonho para me salvar naquilo que ainda não sou. Vivo para realizar aquilo que ainda não sei.

Um comentário:

Milene Cristina disse...

É mesmo assim. " Sonho para me salvar naquilo que ainda não sou ".
Guardo-me também para acolher teus escritos. Sempre me fazem refletir.