terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Costureiro...

poeta é costureiro:
confecciona amores para os olhos
desaperta a vida nas palavras

do texto ao têxtil
da palavra ao fio 

costura para fora, encantamentos
(não trabalha sob encomenda)

traz o poema aos dedos
e ainda que por vezes se alfinete
garante seu ofício 

pois sabe que a poesia jamais estará
fora de moda.

Um comentário:

Wendel Valadares disse...

Genial, Gui.

A poesia é uma roupa feita sob medida para qualquer pessoa.

Abraço.