segunda-feira, 5 de maio de 2014

Inspiração...

Sem enxergar a próxima linha ou ponto final, vejo apenas uma ou duas palavras à minha frente, um ou dois passos depois de mim, somente dois ou três dias depois daqui. Como as linhas do papel e as linhas do meu destino, não sei nem prevejo o final das minhas letras, qual o outro lado das minhas vontades, o fim de noite ou o final de mim. Minhas escolhas e desamanhãs são histórias que ainda não sei, mas que haverei de contar. A inspiração é o improviso e o inesperado que me desarma, a lógica que me desama, num intenso que me imensa no inteiro de que versa alma. Sou o pretexto do imaginário para se fazer verdade. Quando escrevo, pelas palavras sou descrito. Quando discreto, pelos verbos sou confesso. Quando imerso, é a poesia quem me escreve. Eu não ensaio minhas letras, tampouco os meus caminhos.

2 comentários:

Florisbella ♥ disse...

A escrita é algo tão poderoso que muitas vezes fala sobre nós aquilo que ainda nem sabíamos. Escrever é como dar um presente pra si mesmo.
Beijos!!

Ludmilla Ferreira disse...

Adorei o teu blog, já estou a seguir.
Beijinhos Ludmilla
http://ludmilla-photography.blogspot.pt/