sábado, 5 de abril de 2014

Maturidades...

As palavras me dão maturidades que não possuo. Quando escrevo, sou outro que não eu. A poesia me concede por generosidade, as temporárias sabedorias que somente encontro refletidas no papel e que de outro jeito jamais saberia. Amanheço minhas verdades nas palavras quando ainda sou acomodada escuridão.

3 comentários:

Déborah Arruda. disse...

Quase uma prece de retribuição à poesia. Lindo, Guilherme.

Poeta da Colina disse...

Poesias são sussurros que não calam até encontrar um papel.

Alexandre Lucio Fernandes disse...

Colhemos das palavras o sentimento que tanto semeamos. A poesia é nosso espelho, e dele refletimos o que somos e o que seremos.

Lindão Gui!

Abraços!!