sábado, 8 de março de 2014

Mulher...

Creio existir neste mundo entre os comuns, singulares seres destinados a carregar os frutos maduros da beleza. Seres de delicados detalhes como acesso direto aos reinos do sublime e das estéticas paixões que dão nome às artes. Talvez sejam as mulheres, remissão de Deus por não nos conceder asas. Ou então especial cortesia da criação ao atestar sua perfeita existência na obra realizada. Em cada uma se evidencia a existência dos anjos sobre os chãos pois, são elas quem nos miram a dar-nos os olhos de ressaca. São elas quem nos atestam os milagres, e também os infernos, onde das mais altas dimensões despertam-nos para o amor pela obediência dos olhos aos desejos, arrancando-nos como numa hipnose, o equilíbrio e a lucidez, se expostos a elas por demasiado tempo. Da pele cor do branco mármore - a conceder a forma aos templos sagrados - à negra cor onde habitam as estrelas, trazem consigo a luz, convocando-nos os sonhos, acendendo-nos brandas doçuras e intensos pecados. Aura luz de sol entre as manhãs e dona de todos os abismos, a mais bela entre os jardins. És tu mulher. Dedico a vocês a devoção das minhas palavras...

2 comentários:

Jason Jr. disse...

Meu...que foto!!! Perfeita!
Ótimo texto guilherme!

Sarah K. disse...

Lindo.