terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Polemizar...

Eu, nomeado escritor sem devido alvará nem aclamação;
Eu, consagrado poeta sem rigorosa sacralidade ou adoração;
Declaro para todos os fins 
os meus meios:

De natureza inapta, inepta, indócil, 
Tornei-me impróprio ao unânime
e péssima influência às doçuras.

Discordante, 
disparate, 
dissidente,
dormirei à noite
de dever cumprido:

Fazer poesia de quinta,
Dividir impérios às segundas,
Encarar o medíocre nas terças,
Sair para beber às quartas,
Reincidir no crime aos Domingos.
Pedir perdão todo dia.

Polemizo; 
Polenizo;
por um triz, o riso
Para três, a raiva.

Por que carregar gente brava
Se eu mesmo já esqueci tudo isso?

Nenhum comentário: