terça-feira, 26 de novembro de 2013

Enquanto me aguardo...

Enquanto me aguardo, visitam-me as palavras. Busco entre os meus versos e frutos, alguma desavisada certeza de mim, distraída verdade oculta nas entrelinhas; e entre elas, o tom acertado de minhas escolhas, uma exata explicação dos meus medos; a aguardada revelação dos meus porquês. Sofro de inspirações para que numa próxima eu saiba a chave correta, a porta, o outro, o Amor, as marés, minha Alma. Escrevo para me dar a chance de me encontrar na confissão de um conto que me descreva, que me conte os capítulos meus que não vivi, para que eu não perca de vez a estação que eu deveria descer.

2 comentários:

Poeta da Colina disse...

A poesia é esta expectativa pelo que a palavra não diz

Déborah Arruda. disse...

Eu estive aqui um tempo pensando em algo pra dizer, quando me deparei com a Ana Jácomo ali do ladinho dizendo: "Coisa rara e bonita é a gente poder se comunicar por meio da alma, sem que palavra alguma necessariamente aconteça."
Coisa bonita a gente encontrar uma alma que parece com a nossa. E quanto à palavra, o que me aconteceu foi uma só: encanto.
Que lugar lindo de estar!