terça-feira, 29 de outubro de 2013

Amante...

Apaixonei-me por ti desde muito cedo, quando nos apresentaram numa ocasião de que não me lembro bem. Confesso que não foi amor à primeira vista, mas para além daquilo que costumo sentir numa primeira impressão, eu bem que me interessei. O tempo passou e a convivência se tornou diária, e eu diria, mais íntima. Passei a me sentir atraída pelos teus detalhes muitos e histórias tantas que contavas. Um dia, numa ocasião de que também não me lembro muito bem, me peguei encantada por você. Já estava um pouco mais crescida e madura, e pude então perceber o que antes não percebi. Eu vi o quanto és charmoso! E o teu cheiro (ah, o teu cheiro), não tem igual no mundo. A nossa relação - é bem verdade - é complicada. Quantas vezes não chorei por tua causa? Quantas vezes não me atrapalhaste toda no trabalho pelas coisas que tinhas a me dizer? Quantas vezes não tiraste meu foco e minha atenção? Quantas não foram as tristezas e alegrias que partilhamos? Mas quero aqui reconhecer as óbvias razões pelas quais me apaixonei por ti. Quanto não aprendi! Trouxeste-me outras crenças, novas ideias e esperanças. Aprendi delícias como, por exemplo, ser promíscua sem pesos na consciência. Aprendi inclusive e é claro, que a vida nem sempre é como a gente quer que seja. Contigo aprendi as mais excelsas verdades e as mais doces mentiras. E aprendi a nunca julgarmos pela capa. Saiba meu amor, contigo eu cresci. E tu és e sempre serás o meu melhor presente. De ti, jamais vou me livrar. Porque és tu, meu livro.

Um comentário:

Solange disse...

linda declaração de amor..

bjs.Sol