terça-feira, 2 de julho de 2013

Milagre...

Quem sabe eu aprenda a cultivar cuidado e olhar com mais atenção meus laços e meus caminhos. Há um intervalo entre aquilo que em mim é e aquilo que deveria ser. O que faço e escolho vivem a uma distância considerável do que eu quero e desejo. Mas com aquilo que tenho e com o que sou, teço meus trapos com ideia de manto para quando ventania, sonhar em ser apenas sussurro a te serenar. Costuro remendos com ideia de rede a me descansar dos descasos do tempo e junto te embalar. Sou atrapalhado mágico com planos de milagre. Sou um desensaio dos tons de cinza. Sou alguém que não sabe o que fazer direito com o Amor mas que busca por um de qualquer jeito. Quem sabe um dia eu descubra, e aí serei um nome querendo ser prece, a viver nos teus lábios quando o meu Amor te visitar.

3 comentários:

Arianne Barromeü disse...

Uau, poesia pura! Lindo, Guilherme.

Anônimo disse...

Guilherme, você tem outro blog ou esse cidadão está pegando alguns textos seus?

http://joseeduardogomesjf.wordpress.com/

ღ ☆ ©řîšŦąŁ ♥ ☆ disse...

Intensidade!!
Esse é seu nome! Muito lindo seus textos poéticos