terça-feira, 18 de junho de 2013

Revoluções...

Que o amanhã seja palco para as nossas revoluções, sejam elas sociais ou interiores. Que o descontentamento seja a semente, e a esperança, promessa do vento. Que aprendamos a aprender com as tempestades e, que de uma vez por todas nos desabituemos a nos habituarmos. Sempre é tempo para se fazer gigante, nunca é tarde para acordar. Um brinde às possibilidades da próxima página dentro e fora da gente!

Um comentário:

Ana Maria Zanetti disse...

Encantada, apaixonada pelo blog....