segunda-feira, 27 de maio de 2013

Entre um e outro...

Às vezes é tanta dor e tanto intenso
que palavra nasce doendo,
que o verbo nasce gritando,
e o verso envasa o imenso
em que o Amor encontra-se lendo
entre um porém e um entretanto.

5 comentários:

Milene Cristina disse...

E do início ao final, tudo se transformou.

Bárbara disse...

" e o verso envasa o imenso
em que o Amor encontra-se lendo"

lindo isso aqui. Sempre me apaixono, e ainda quero o teu livro!

Beijos no coração.

Ana Aitak disse...

<3

Fábio Murilo disse...

Vida, vida, vida
Que seja do jeito que for
Mar, amar, amor
Se a dor quer o mar dessa dor, ah!
Quero no meu peito repleto
De tudo que possa abraçar
Quero a sede e a fome eternas
De amar, e amar e amar...
Vida, vida, vida.

Gonzaguinha, por acaso, tema de abertura da novela das nove, acho eu.

Sutilzeas e Amenidades disse...

Sei perfeitamente como é esse contexto...