quinta-feira, 14 de março de 2013

Sobre a poesia...

Poesia é caso de amor entre o espírito e as palavras; jeito do coração dizer ao outro a sua prece. Poesia é declaração nua da beleza que dela nem todos entendem. Pois são as pessoas, desavisadas dos olhos; não entendem por não se afinarem com as entrelinhas. Eu falo por elas e por elas me faço. As palavras são todas emprestadas do silêncio, que uso a confessar meus sopros vestidos de ideias, minhas alegrias e tempestades. E ainda que poesia não fale de mim, nela deixo meu perfume em cada verso; nela traço um mundo meu em cada letra. Poesia é tecelã habilidosa em costurar o sentido da doçura e da sutileza na vida nossa. Gosto de pensar que sou seu aprendiz. Poesia tem um papel de ponte, levando os olhos à Alma, as cores pra dentro e a vida pra fora. Poesia é igualmente o barro do artesão, a tela do pintor, o rasgar da semente, o parto de toda mãe, o prazer da criação, o êxtase do amor. Oficio sagrado este de traduzir a verdade e seu avesso que se escondem nas sílabas, a loucura e o saber que habitam as criaturas, o céu e a terra que se conversam em cada horizonte, a vida e a morte que se permeiam em cada um de nós. Abençoado ofício; nobre e inevitável destino. Afinal, existem os sãos, existem os vãos, os loucos e os normais. E existem os poetas.


(Guilherme C. Antunes, vulgo "eu", em 11.10.11)

2 comentários:

Mayara Cruz disse...

Muito bom esse texto.
A poesia vem da alma, do silêncio, muitas vezes não fala de nós, estamos estamos nela, a poesia fala ao mundo sentimentos, contentamentos, dores, solidão. Eu amo escrever e amo ler.

beijos

Milene Cristina disse...

É meu encontro preferido. Me refaço com ela, posso escrever o que não saberia falar. Deixo meu reflexo no espelho, para o outro se ver. Ela é minha amada.