segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Despertenço-me...

(...) no teu nome busquei salvar esta parte desenganada do tempo e da distância que mora em mim. Hoje, despeço-me da vontade de voltar para os meus habituais lugares. Aqui, despertenço-me da vida que antes não ousou saber de ti. Porque na tua presença vivo, morro apenas para renascer, pois o Amor nos devolve às nossas inteiras eternidades. Se um dia precisar voltar, vou-me sem nunca mais partir. Devota das noites aos desejos e dos dias para os sonhos, acusa-me o amanhã por contar histórias que vivem em nós, mas que as memórias ainda não souberam. Rouba-me as horas e desnuda-me o medo quando, visto-me com os lençóis da tua cama. Enfim, eu sou a tua própria casa.

2 comentários:

Milene Cristina disse...

Estar em alguém é se perder e se achar.

Anônimo disse...

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade." Carlos Drummond de Andrade
Tanto para falar, tanto para sentir! O seu amor acalenta minha alma, não desista de amar!