terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sapatilha...

Quando seus pés calçavam as sapatilhas, não sabia mais do seu nome ou de sua plateia. De olhos fechados e ela era a própria dança - e não mais a dançarina - quem se entregava diante da música e também do silêncio dos seus convidados. Quando lua morena despontava no céu, de doce cabana saia chorosa, com os pés descalços em busca do mar. Era jeito dela de andar em paz com sua solidão. Quando o sol lhe convidava a despertar, era de sapato e coração apertados, que saia de casa para conseguir espaço na própria vida e uma folga das suas dívidas. E de volta pra casa com seu salto fino nas mãos, via então o seu tamanho e seu lugar diante do mundo. Ainda que tantas versões de si pudessem escolher as cores, os preços, os modelos e os tamanhos dos seus sapatos, eram as ocasiões - e também os acasos - quem definiam seus passos. Era o seu coração quem de verdade caminhava, até que resolveu parar, cansado da caminhada.

4 comentários:

May Almeida disse...

Outra paixão : a dança !!Tocou fundo no meu coração.Lembrtanças do sonho de menina : ser bailarna !Acho que no fundo toda menina sonha em ser bailarina ( clichê né ? mas acerdio nisso )Um sonho que realizei parcialmente,mas valeu e valeu sempreee!!Amei o texto :)

Poeta da Colina disse...

A gente prova os passos para ver se nos encontramos.

Solange disse...

estou te lendo descalça..

bjs.Sol

Sol disse...

Eu me fiz bailarina enquanto te lia e mais uma vez me identifikei com tuas palavras.
Eh q tem uma hora que a gente cansa mesmo da caminhada...

Lindo.