terça-feira, 9 de outubro de 2012

A nossa própria voz...

(...) e nos orgulhamos pela sabedoria de nossos próprios conselhos enquanto lamentamos não ter aprendido a caminhar por entre os vales de nós. Aprendemos a exorcizar os demônios, mas não a amar o próximo. Não atravessamos o luto por festejarmos nossas distrações. Implicamos com o espelho quando desnudos. Tagarelamos para não ouvirmos a nossa própria voz. E nos agarramos à dúvida ao invés de escolhermos certezas ainda maiores. Tudo porque, não temos certeza de nós, não temos certeza de nada.

4 comentários:

Paolla Milnyczul disse...

A unica certeza que temos é de que não temos certeza de coisa alguma.

Lindo texto!

Poeta da Colina disse...

E o amor que começa em si, não chega no outro.

Mina Cara disse...

Disse tudo... não temos certeza de nós...

May Almeida disse...

Perfect !Identifiquei-me ! A imagem é bombástica...simplesmente : empatia !