quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Uma crítica que nos cabe...

Não me recordo de quem é a frase: "A hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude". Se há época na qual o homem mais demonstra suas baixezas, esta época é conhecida como "ano eleitoral". Pelos debates e acusações, farpas, evasivas, incoerências e antecedentes, vê-se que não nos sobra muito, pois ou anulamos o voto ou votamos no menos pior. O país, ou melhor, a maioria de nós, ainda não acordou; embriagados pelas distrações cotidianas ou incapazes pela nossa falta de instrução. Aqueles que nos representam são também a nossa permissão e conivência, quando não conveniência, fruto nosso em nosso ventre, a representarem crenças e promessas que não nos servem mais. A crítica aqui não diz respeito a eles, mas a todos nós que seja por erro, insuficiência, preguiça, omissão ou mesmo imoralidade, reforçamos querendo ou sem querer o velho ditado: O Brasil é o país do futuro. (E que sempre será!) Mas quem sabe lá, neste futuro e numa próxima eleição, tomemos um engov e um pouquinho de vergonha na cara.

3 comentários:

Dulce Morais disse...

Claro está, Guilherme, cada país que atravessa uma campanha eleitoral vive mais ou menos a mesma coisa. O problema é que, quando são eleitos dirigentes que, uma vez no poder, tomam decisões desagradáveis, aí já se ouve a voz do povo, mas ninguém admite ter votada para eles... "Desresponsabilização", ou assim parece...

Poeta da Colina disse...

Sou brasileiro e até hoje não conheci um político verdadeiramente interessado no Brasil.

May Almeida disse...

Disse tudo de uma forma MUITO SINGULAR !O que dizer ? GOSTEI MUTO !