quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Refém...

(...) dizia ele ser livre; queria ela ser também.
mas se prenderam ao Amor: falta de ar que lhes convém,
a liberdade envolta em laços;
um cativeiro sem refém...
era na manhã ter seu abraço,
e à tarde o Amor dizendo amém.

7 comentários:

Dayse Sene disse...

Emociona as suas palavras, querido Guilherme. Lindo dia. Grande abraço.

Priscila disse...

Acompanho a amiga Dayse... emocionante, singelo e descreve exatamente o amor. Liberdade envolta em laços, cativeiro sem refém.
Amém!

Beijo, Poeta.

Uma mocinha não tão indefesa disse...

"Liberdade envolta em laços, cativeiro sem refém."

Deste "rapto" poucos ousam pedir resgate... ainda bem, rs.

Dulce Morais disse...

Singelo, puro e sensível.
Muito belo.

Áurea Manuele disse...

uma leitura que me despertou um suspiro acompanhado de ensejos... belo!

Isabela Xavier disse...

Lindas palavras. Gostei muito do trecho "a liberdade envolta em laços;
um cativeiro sem refém...".
Parabéns, você escreve muito bem.
Adorei seus escritos.

May Almeida disse...

Guilherme você tambem ( como a Ana Jácomo )deve ser um elfo ou algum outro ser do mundo mágico.Como é possível ?Um trecho tão pequeno condensar tanta beleza ???Sério !