sexta-feira, 22 de junho de 2012

Outono...

Quando caiu a primeira folha do outono, soube a terra desnuda da folha a lhe vestir amarelo. Com sua despedida da árvore à espera do inverno, cumpriu-se a própria Vida, quando nela se revelaram as singelezas que costuram seus ciclos e colorem seus reinos. E quando soube o homem o que vivia nas sementes e também nos frutos, a poesia aconteceu com o despertar do sol. Pois a beleza se confessa nos olhos somente daquele que na Vida também já despertou. A beleza se usa da poesia como alimento, para viver em nós e através de nós se perpetuar. Quando caiu a primeira folha do outono, soube a terra desnuda da folha a lhe vestir amarelo; pensando no vestido de baile; pensando em se parecer com o sol...

3 comentários:

Guilherme disse...

"Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma." (George Bernard Shaw)

Solange disse...

continua chovendo aqui..

bjs.Sol

Poeta da Colina disse...

O ciclo dela se completa ao fazer nascer outra vida.