quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pratique a poesia!

A poesia, em suma, existe em duas dimensões e em dois movimentos viventes no poeta. A poesia como sombra da falta e da carência, e a poesia fruto da felicidade e da abundância. Explico-me: pode o poeta com as palavras construir belos reinados sem jamais neles pisar; usando-se o homem da poesia para mascarar suas misérias e disfarçar suas tristezas. Versa então o poeta seu real tamanho, nas futilidades e adocicados nadas que encontra eco no peito vazio do outro com que se identifica, pela destreza com que costura suas linhas. Assim, a poesia se faz como mera projeção dos seus avessos e do que lhe falta. Distrai-se falando sobre as cores na aridez do seu próprio deserto e ocupa-se com meros desejos, tecendo elogios ao que não se é como se fosse, e ao que não se tem como se tivesse. Já a poesia filha da abundância é fiel a linguagem viva na Alma, que se veste das palavras para contar suas memórias. Não mascara o seu autor as suas partes, mas denuncia o seu inteiro aos olhos que lhe visitam. O sol na abundância floresce os jardins. O sol visto das letras é tão-somente amarelo. Uma brinda verdades, a outra enfeita mentiras. Uma é mendigo cheio de si, a outra é o senhor que partilha seu pão. Uma afoga as mágoas, a outra ensina a nadar. O convite da poesia é este: que sejas digno de vestir o seu manto e carregar o seu graal, exercitando suas verdades e marés de dentro. 

Pratique a poesia!


“A pasteurização da poesia contemporânea me assusta. Vozes todas muito parecidas. Fico feliz quando me deparo com vozes dissonantes, que rezam por cartilhas que não as vigentes, que discordam do coro dos contentes”. Hanna H.

7 comentários:

Priscila disse...

Não sou poeta, nem pseudo-poeta, sou leitora e com orgulho, porque faço a melhor triagem, absorvendo tão-só o que agrada aos meus olhos. Deixo aqui meus parabéns pela coragem, pela ousadia, por "cortar na carne", com palavras que serão vistas como afronta, por alguns.

Sucesso sempre, Guilherme!

Solange disse...

muitas vezes poetamos os nossos contrários..

bjs.Sol

saudade daqui!!

Gabriela Castro disse...

Eu não sei se qualquer forma de poesia é digna, mas sei que existem palavras repletas de vazio de significado. O mundo precisa de mais coração. Pratiquemos a poesia, então.

Paulo Henrique disse...

Gostei bastante desse texto, muito bom mesmo. Parabéns pelo blog!

http://opoetaeeu.blogspot.com.br/

Luzia Trindade disse...

Belo texto! Praticar a poesia é aprender a olhar o mundo com outros olhos, com bons olhos.

Bjos

Poeta da Colina disse...

A palavra desenha, projeta, descreve, simula e acima de tudo sonha.

Ser Jovem tem dessas coisas ... disse...

letras em fantasias, vidas em contos! a graça de escrever é dar beleza ao que é triste ou o vigor no desapercebido.