quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Semente...

O vento que aqui traz,
O vento que aqui traduz,
O silêncio que me faz mais
ser palavra que eu nunca fui.
Sou o sopro, sou o mesmo, sou engano.
Sou o avesso dos meus sonhos, 
o erro dos meus planos.
Sou o tempo senhor das sementes,
Se minto, sou jeito de chuva,
Se amo, inundo o peito que sente.

13 comentários:

menino crescido, disse...

Belíssima poética!

Daniela disse...

Palavras em belo e lindo tom!
vento amigo , sábio destino nos trás .

Gostei muito , vou seguir
Bjoo !

Karla Thayse Mendes disse...

Quanta lindeza encontro por aqui...

Beijoo

Poeta da Colina disse...

Sem ver, é preciso acreditar.

Monalisa Macêdo. disse...

Este vento são tuas palavras, que espalham sementes no coração da gente.
Lindo poema !
Beijo.

mfc disse...

É bom sentir assim... intensamente!

Pipa. A Pipa dos Ventos. disse...

Agora volto à superfície. É um destino seguro. Nestes oceânicos amores, eu nunca mais me aprofundo.

RosaMaria disse...

E que os bons ventos sempre soprem pra ti.

Beijos

Letícia disse...

Que coisa bonita de ler! ^^

Tenha um doce fim de semana. :*

Brunna disse...

:)

LUZ disse...

Oi Guilherme,

Visualizei seu blog, ocasionalmente.
Fiquei lendo e você escreve muito bem e sabe escolher seus autores.
Esse seu poema é uma semente, que dará flor e fruto.
Parabéns!

Bom Domingo.
Abraços.

Solange disse...

absoluta tradução do encontro do desencontro..
da espera do que já foi..
identifico-me demais aqui..

bjs.Sol

IsaBele disse...

"Semente, semente, semente
Semente, semente
Se não mente fale a verdade
De que árvore você nasceu?"