sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O porão...

Semeamos erro e queremos a flor mais bonita. Carregamos cacos e reclamamos doerem as mãos. Enfeitamos a Alma de medos e não entendemos doença. Ao Amor fecho os olhos e cego é o coração. Somos donos da casa mais vistosa de uma rua-sem-saída. Somos parte de um encontro que já espera despedida. Versamos na boca a liberdade mas vivemos mesmo é no porão. Um sufoco com porta que pra parede abre e uma esperança com escada que pro teto leva. Quando soube homem o seu porão ser apenas sonho ruim, gaiola virou ninho, corrente virou caminho, farpas e pedras, flores do jardim. E que por lá moravam três ventos, quatro lágrimas, duas promessas e um só pé-de-sol; que ao florescer de luz inundou riacho que arrastou tristezas, e abriu com força janela da casa espantando sombras que por lá dormiam presas.

6 comentários:

Rita Ribeiro disse...

"Versamos na boca a liberdade mas vivemos mesmo é no porão."

Muito bonito...
Visitarei mais vezes.^^

Abç

Erica Gaião disse...

"Semeamos erro e queremos a flor mais bonita. Carregamos cacos e reclamamos doerem as mãos. Enfeitamos a Alma de medos e não entendemos doença. Ao Amor fecho os olhos e cego é o coração"

Perfeição! Só posso dizer o seguinte: Que a luz continue brilhando aí dentro. E que suas mãos continuem conduzindo as palavras. Assim...

Beijos

Danielle disse...

Nossa , parabéns...lindo texto....

Emocionada...

Abraço

Heat disse...

Gostei.

Vou refletir um bom tempo sobre as suas palavras.

mfc disse...

É bem verdade que andamos a esvaziar o que de mais precioso temos... o nosso íntimo!
... aquilo que mais devíamos preservar!
A foto é extremamente sugestiva.

Solange disse...

uau!
acordar e encontrar esta pérola..
não tem como não chorar...

tão verdade...

bjs.Sol