terça-feira, 8 de novembro de 2011

Sobre a distância...

Distância é espaço que nos desfaz em dois; é saudade que pode ser medida pelos passos que dou ao fugir dela. Distância é horizonte que não admiro; passeio que não quero; grandeza além do meu sonhar. Distância é sinônimo do tempo em que não sei; mas que multiplica o sentir e o pensar. Pois será que quando um pensa no outro, não se faz ponte? Ponte que nos faz mais próximos ainda que de jeito sutil e sereno? Será que pensamento com jeito e forma de quem se gosta não é abraço que acolhe nossa atenção e porta que recebe nosso carinho? E será que somos tão distantes e separados assim pra porta não ter o outro lado em que nos sabemos inteiros? Não seríamos nós, portas que se conversam e se esperam? Tem os sentimentos língua própria que confessam você em mim e o que dentro de nós habita. Quando dentro e imerso, dissolvem-se os reflexos e os limites que nos separam. São os pensamentos feitos da mesma essência e do mesmo encontro quando o Amor deságua no mesmo mar. E lá navego na tua mesma rota que me serves de farol. Porque distância não é, nem nunca foi assunto da alma; coração desconhece o tempo. Quando me enlaço na tua história, sou promessa cumprida hoje; mas também pedido. Que venha você desfazer os velhos conceitos e as teias de aranha da mesmice ao me ensinar mistério que dissolve ilusão, desmentindo o espaço que nos desfaz em dois, que espera saber o nosso encaixe e dissolver nossos limites. Afinal, quem tem limite é município. Eu sou imensidão que te busca e que distância nenhuma toca, quando vivo em nós.

2 comentários:

Cibele disse...

Nossa que lindo que é te ler.
Suspirei...

Erica Maria disse...

que lindo o texto :)