quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Morada...

É no céu em que nos encontramos quando saudade é sentida e pro alto levamos os olhos. É no céu em que sopramos os nossos mesmos sonhos. É no céu em que nos sabemos além daqui e os passarinhos namoram; em que as estrelas lá moram, a nos ensinar o infinito. É na terra em que meus pés descalços sentem o mesmo chão que o teu. É na terra em que espero tua mão encontrar com a minha. É na terra em que a espera em te encontrar caminha. É no horizonte onde liberdade faz morada. Na morada do Amor, encontro nós dois de laços e a vida de cama macia. Lá mora a minha cor, namoram os olhos que se conversam. Em que dois são um, todo o resto é nenhum porque nada além, só aqui. Fluído é o que forma foi e presente é, somos rio a desaguar no mesmo encontro em um só nome e verbo que confessa: há mar.

3 comentários:

Bruna dos Anjos disse...

gostei ... bela postagem
segue la se gostar:
http://enredodeideias.blogspot.com/
beeijo

Poeta da Colina disse...

Sem dúvida que há, para toda dor e todo amor.

Natália Campos disse...

Há mar. Amar. Mui belo!