terça-feira, 25 de outubro de 2011

Maçã do amor...

(...) e ele vive por aí, preenchendo-se de vazios com seu charme peculiar. Reúne em sua agenda, telefones, aventuras e romances, bem como lágrimas e solidão sentidas ao final de cada noite; mas elegante que só ele. Alimenta o desejo e o imaginário de cada uma delas com os capítulos mais interessantes de toda uma história que gostaria mesmo é de esconder. E com sua irresistível presença, sentia-se um zé ninguém. E com todo o seu carisma, sentia-se um miserável. E com todo seu encanto, sentia-se amaldiçoado. Desmentia o espelho o seu sofrer antes de cada festa; lembrava-se dele no árido silêncio da sua casa. Altivo e garboso, era ele uma armadilha; a colecionar sorrisos, cinturas, perfumes e nomes em seu coração empoeirado, por dentro. Por fora era a mais bonita maçã do amor.

Nenhum comentário: