quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Escritora...

Seus olhos desnudam meus contornos da Alma que eu mesmo não vejo, e os teus passos, decifram caminhos da vida que eu mesmo não sigo. Você nem me conhece e me virou todo do avesso. Você sabe de mim mais do que me conta o espelho. Porque teus erros falam dos meus. Teu sofrer expõe o meu sofrimento. É você quem se corta e quem sangra sou eu. É você quem confessa e sou eu quem grito aquilo que de mim tanto escondo. Saiba: tuas entrelinhas são as verdades escancaradas da minha vida, pois teu perfume lembra o meu sorriso; teu canto lembra a minha voz; tua lágrima, meu pedido de perdão. Intérprete dos meus silêncios, és raridade quando tua vida traduz a minha inteira nas palavras escritas. E você me sabe, como se houvesse me lido, com ênfase nas notas de rodapé, meus rituais e contradições, minhas cores e desacertos. É você quem me põe na parede quando desvendas minhas crenças que ninguém mais percebe, inclusive eu. Quando me diz que sou antagonista de mim mesmo. Quando me diz que coração é nau que carrega todos os meus amores. E você, você é oceano. Em que encontro meus tesouros e meus abismos. E assim você costura meus capítulos, seja eu mocinho, bandido, santo, pecador, galã, feioso, herói sem caráter e todos os outros detalhes que só fazem parte do meu show. Ainda que eu seja o ator das minhas escolhas, parece ser tu autora das minhas falas. Quando me jogas na frente do público de improviso. Quando me convida pra peça que a vida me prega. Eu leio minha Alma com tuas palavras; pois sabes tu meus monstros e cores, todos pelos nomes. E eu nem ao menos sei quem você é. O que sei é teu ofício ser poesia. Tua vida, escritora. É o que faz para (sobre)viver.

11 comentários:

Rita Schultz disse...

escrever é isso: não é querer morrer, mas fazer a dor parar.
um beijo, Guilherme.

Noemyr Gonçalves* disse...

Que bonito! Gostei muito.

Pipa. A Pipa dos Ventos disse...

Um dia deixaremos de ser só palavra, para sermos só poesia.

Laiana Vieira disse...

Que texto mais lindo e delicado! Coisa mais gostosa de se ler. Amei! Meus parabéns!

Renata Fagundes disse...

Muitas vezes o outro nos decifra muito melhor que nós, porque nos vê melhor do que somos. Nos transformamos parte do outro, mistura de alma e palavras.

Lindo texto como sempre

beijo

Lian Tai disse...

É sublime isso, quando um texto nos traduz.

Bruno Gaspari disse...

Parabéns pelo conteúdo do blog!
Seleção irretocável de poetas
e poemas. Grande abraço!

Patrícia Rocha disse...

Olá Poeta!

Não canso de ler esse post... lindo demais!

Beijos e ótimo final de semana! =)

Tânia F. disse...

Saiba também que muitas entrelinhas tuas me desvendam. Adorei esse texto, mesmo. Poucas vezes na vida li algo tão bonito sobre alguém. És um Escritor também, para todos os que passeiam na tua ilha e, inclusive, para mim. Sinto que você lê minha alma e repassa em palavras totalmente suas, mas que, ainda assim, poderiam ser minhas. Adoro cada dia mais passar por aqui, eu realmente me encanto.

Anônimo disse...

Quando tudo parece complicado, quando todos os espelhos mostram uma face desnuda com olhos que descobrem um sentimento impertinente que insiste em sobreviver, resta o silêncio... Meu e teu.
"Você nem me conhece e me virou todo do avesso..."
Texto lindo, Gui!!!!!!!!!

May Almeida disse...

LINDO!!!!