segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Escuridão...

Antes eu soubesse esperar por promessas e certezas de vida nova para o ano que vem. Não! Quero agora. Amanhã. Daqui a cinco minutos. Porque a vida sabe esperar o fim do inverno e renascer na primavera. Eu desconheço o tempo. Meus porquês, minhas vontades e meus caminhos duram menos do que um ciclo todo; do que um ano inteiro; do que uma esquina dobrada; eles são um pouco mais do que uma rua sem saída; do que um cigarro aceso. Porque eu luto com meus monstros que não esperam minha colheita. Porque eu brigo comigo mesmo quando recuso a paciência. Porque enfrento sombras que se assustam por qualquer sopro ou vela acesa. Sou sopro, sou urgência. Sou confissão que grita querer abraço de quem seja luz a me fazer um pouco menos escuridão.

2 comentários:

Menina no Sotão disse...

As vezes é preciso tatear as sombras para se encontrar ou se perder de vez. Eu gosto de fechar os olhos e me deixar sentir o ritmo das coisas e perceber meus próprios contornos...

bacio

Suzi disse...

Lindo texto!

O inverno chegou ao fim. Hora de [Re]florescer.


Abraço de luz!!!!!!!


.
.