domingo, 14 de agosto de 2011

A fragilidade do Amor...

Sabe o homem separar sempre o joio do trigo? Ou distinguir medida entre remédio e veneno? Ou a mentira da verdade? Emoção de sentimento? Seria o homem bicho desatento? Pois quando recebe o Amor em sua casa, entra o medo pela porta dos fundos. Pois quando abre os braços ao desapego; ciúmes pula a janela. Em sua própria casa, distrai-se; e quando em qualquer dos cômodos encontra um, o outro nunca se encontra. E nesta alternância de se aperceber, saberia o homem sentir? Se sabe ele apontar para nuvem que o vento sopra e dizer o seu desenho, não saberia o homem também contemplar o céu de dentro em seus movimentos a defini-lo? É o amor sempre Amor? A dor é sempre um mal? Pode o começo ser final? Por que recusa o peito quando amamos, em lidar com as incertezas? É mesmo o Amor quem luta para enterrar sua precariedade e o seu sentir vulnerável, e quando obtém êxito, logo começa a se enfraquecer e definhar? Por que tão logo construímos o belo, queremos sem querer destrui-lo? Por que quando buscamos acolher, acabamos espantando? Quando controlamos, perdemos o controle e deixamos escapar? Por que diante do sublime, nos apequenamos; despindo lucidez pra vestir baixeza? Ou é tão-somente o medo que nos boicota quando aprisiona leveza no porão, ao roubar chave da porta e se tornar dono do nosso jardim, semeando qualquer coisa com nome de boa semente? Há dentro de nós dois espaços e duas pertenças: a do Amor e o da hesitação. Quando hesitamos, Amor adormece, o Amor adoece, o Amor não está. E no hesitar, vem a traça, vem a praga, a fome, o medo, a posse, a ilusão e o ego nos (des)controlar. Assim como escuridão é ausência de luz; medo é ausência do Amor. O Amor sabe; o medo hesita. Talvez quando atentos estivermos a cada uma, uma-a-uma de nossas emoções, sabendo bem quem são as visitas de nossa casa interior, possamos escolher em todas as ocasiões, o Amor como hóspede. E quando coração escolher o Amor sem hesitar; a sua vida será mesmo sua; sua escolha não será multidão de desencontros da Alma. E aí, Amor será abrigo, será verdade e porto-seguro.


"(...) às vezes quando nos chega a sabedoria, já não serve mais para nada". (Gabriel G. Márquez)

8 comentários:

Alê disse...

O dia amanheceu cinza, e as esperanças preguiçosas por aqui...

E Você sutilmente faz pensar docemente sobre as emoções,


Ai Gui, me encanta sempre, e sempre mais!

Marília Felix disse...

A gente aceita o amor do outro com o nosso nas mãos para entregar todo!

Ótimo Domingo!

Ana Aitak disse...

"A gente sempre destrói aquilo que mais ama/ em campo aberto ou em uma emboscada/ alguns com a leveza do carinho/ outros com a dureza da palavra/ os covardes destroem com um beijo/ os valentes com uma espada".

(Oscar Wilde)

Seu texto me fez lembrar esse trecho. Ambos muito intensos.
Parabéns

♥→ A Pétala... A Thati ♥ disse...

É sempre um prazer vir aqui e degustar das tuas palavras!!
Uma semana iluminada pra vc!

Beijos no coração!!

Thatiana Vaz

http://petalasdesentimentos.blogspot.com/

Sarah El Khouri disse...

Nossa! Muito bom este texto. Bela descrição da confusão que o amor em combate com o medo gera dentro de nós. Quantas vezes nós deixamos de experimentar a felicidade por temer o amor? Pois o amor movimenta a vida, nos faz saborear o novo, nos despe de determinados sentimentos que já estávamos acostumados, nos faz ir de encontro também com a dor, embora essa dor seja envolvida com o júbilo que o amor proporciona; e poucos estão preparadas pra isso.
Essa frase é forte: "Amor sabe; o medo hesita."

Guilherme disse...

"A gente sempre destrói aquilo que mais ama / em campo aberto ou em uma emboscada / alguns com a leveza do carinho / outros com a dureza da palavra / os covardes destroem com um beijo / os valentes com uma espada". (Oscar Wilde)

Valéria Sorohan disse...

Somos assim, almas capengas feitas de trapo a saber menos do que supomos.

Meu beijooO*

Yohana Sanfer disse...

Texto lindo demais, Guilherme! Está ficando difícl saber qual o etxo mais lindo que já li aqui!

Parabéns por tamanha sensibilidade!