sexta-feira, 8 de julho de 2011

Sabor...

 
Alcançaste aqui o velho céu; sabendo bem qual teu papel. Ser nuvem alva a colorir de branco o azul em que macio navego. E se fosse você nuvem, cinza nuvem, a ti pediria: chove em mim; chove em ti; deságua em nós, a logo virar riacho; matando sede dos meus olhos a te buscar; sentindo terra do teu corpo a explorar. Ciúmes do vento que te encontra a te levar, assim, alcançando logo o oceano; sabendo bem qual é teu plano. Ser sol a girar nos ciclos; girassol a enfeitar sorrisos. E se viesse você água, qualquer lágrima, a ti pediria: evapora amarra; evapora tristeza; cultiva jardim; semeia abraços; dissolve teu medo; desenha teus laços; de manhã lá bem cedo, ao acordar dentro de mim. E aí desfaz os nós; refaz em nós, o teu sabor; adoçando alma, com novo Amor.

Um comentário:

Solange disse...

um texto que nos faz refletir melhor, sobre nossa caminhada...

bjs.Sol