domingo, 24 de julho de 2011

Convite...

A vida me convidou ao recolhimento e eu só quis saber de festas. O tempo me solicitou madurez e eu andei pra trás. A vida me pediu reflexão e eu pensei só em mim mesmo. A vida me pediu prontidão e eu acordei atrasado. Ela me aconselhou disciplina e hoje assaltei geladeira. A vida me pediu paciência e eu saí pra dançar; fazendo muita gente dançar comigo. A vida me pediu partilha e eu joguei tudo fora. Ganhei laços e com elas sufoquei belezas; ganhei sementes e envenenei a terra.  A vida me pediu leveza e eu pisei nas flores; ela me cobrou escolha e fiquei entre dois amores. Vida me cobrou fé e eu paguei com dúvidas. Vida me exigiu clareza e eu vesti óculos escuros. Corações pediram alento e comprei velho romance. Sorrisos me pediram carinho e arranhei seus rostos. Quiseram salvação e eu distribui problemas. As mãos pediram doçura e eu virei as costas. A vida requereu presença e fui ao cinema de enredos mentirosos. A vida me pediu verdades e eu abri Igreja. Eu caminhei por dias e luas mas não contemplei paisagem; não descansei os pés no rio de mim. E de tanto caminhar correndo contra a luz, não vi nascer-do-sol dentro do peito; tropeçando nas sombras a cair em lugar nenhum. E por cair, fiquei. E por ficar, parti. Quando amei, doí. Quando brinquei, menti. Quando cortei, senti. Quando matei, morri. E ao morrer, no inferno me encontrei; sem saber ao certo por quais motivos ficarei.

Um comentário:

Suelen disse...

A vida me pediu reflexão e eu pensei só em mim mesmo. A vida me pediu prontidão e eu acordei atrasado.

Texto maravilhoso,=)